As Claras 

Igreja é acusada de enterrar caixão sem corpo em ritual medonho





30/7/2020

Uma situação medonha em um cemitério de Baguari, distrito de Governador Valadares (MG), está sendo investigada pela Polícia Civil: um caixão sem corpo, com pedidos de oração escritos em papel, foi encontrado em uma cova rasa.

Os moradores do entorno do cemitério relataram ter ouvido vozes, alguns ruídos incomuns e uma estranha movimentação de carros ao longo da madrugada do último sábado, 25 de julho. Como o horário era avançado, ninguém levantou da cama para ir às ruas ver do que se tratava, mas no dia seguinte, encontraram um caixão recém-enterrado.

A cova rasa tinha um caixão sem corpo, apenas com papéis com pedidos de oração escritos, copos plásticos ao lado do buraco e pedaços de pano. A Polícia Militar foi acionada e, em seguida, peritos da Polícia Civil de Minas Gerais foram ao local para averiguar o cenário.

De acordo com informações do portal O Tempo, a Polícia Civil comunicou que instaurou um procedimento para apurar um eventual dano provocado ao patrimônio pelas pessoas que enterraram o caixão sem corpo.

ANÚNCIO

Nas redes sociais, usuários comentam o caso e desconfiam que a iniciativa bizarra teria sido feita por uma igreja evangélica de Baguari, em um ritual dirigido pelo pastor. Nos grupos de WhatsApp da região, circulam vídeos em que o pastor em questão anuncia um ritual de “libertação” para “enterrar tudo o que não presta” no cemitério do distrito.

A jornalista Lara Alves informou que em uma gravação “o pastor aparece supostamente na madrugada do ritual já no cemitério acompanhado por um grupo grande composto por pelo menos uma dezena de fiéis que trajam roupas brancas”.

“Estas imagens mostram um homem cavando uma espécie de sepultura para enterrar o caixão levado pela igreja e ainda um grupo de pessoas rezando. A Polícia Civil não confirma. A reportagem de O TEMPO procurou o pastor que supostamente aparece nas imagens e a igreja que por ele é citada no vídeo, mas ainda não há retorno”, acrescentou a jornalista.

Os moradores que acionaram a PM na tarde do sábado, 25 de julho, relatou aos militares que no começo da madrugada escutou barulhos saídos do cemitério e também ouviu vozes de pessoas que conversavam e também faziam orações. Ele olhou por um buraco do muro e viu que havia terra remexida.

ANÚNCIO

Outra pessoa que testemunhou parte da ação disse que um grupo numeroso de pessoas foi ao cemitério na madrugada e entrou pelos fundos, em uma parte em que o muro está quebrado. Segundo esse vizinho do cemitério, parte do grupo entrou no local pulando o muro, enquanto a outra parte permaneceu do lado de fora.

Essas pessoas teriam dito algumas palavras, ficaram no local por um curto período e depois foram embora nos carros.

O registro da ocorrência refere o caixão como uma urna de madeira que continha pedidos de oração, panfletos de uma igreja e objetos como copos plásticos e pedaços de pano. A princípio, nenhuma sepultura foi violada para que a urna de madeira fosse enterrada e, até o momento, nenhum envolvido foi preso.

Fonte: Tiago CHAGAS


Comente esta notícia:

Comente esta notícia:

Nome:      E-mail: 

Comentário:





Últimas noticias