As Claras 

Viúvo de Fabiana Anastácio lamenta: “Não esperava que partisse tão cedo”





17/6/2020

“Ela era muito bonita, muito alegre. Todo ambiente em que ela estava, era contaminado por alegria e simpatia. Ela cantava e palestrava em igrejas no Brasil inteiro e quem a conheceu sabia que era uma pessoa extraordinária”, disse Nascimento em entrevista ao portal G1.

A percepção do pastor é que a doença evoluiu de forma agressiva em sua esposa, já que ele também foi infectado e se recuperou rapidamente. Antes da internação, Fabiana Anastácio estava isolada em casa e só foi internada quando os sintomas se intensificaram.

ANÚNCIO

“A gente suspeitava [de Covid-19], então ela se isolou, foi se tratando, mas até então parecia uma gripe. Quando ela foi testar já ficou internada. A Fabiana é muito forte, mulher de muita fé, além de cantora ela palestrava sobre fé e era muito segura sempre em Deus e na fé, estava enfrentando como uma situação normal. A gente não esperava que partisse tão cedo”, lamentou Nascimento.

Em outra entrevista, ao portal Bol, ele declarou que a conversa que terminou sendo de despedida foi marcada por otimismo: “A última vez que conversamos ela estava internada, antes de ir para a UTI. Tudo com muita naturalidade porque não esperávamos esse final. Falamos sobre a minha recuperação que foi muito rápida. Eu me internei primeiro e quando saí ela estava internada”, relembrou.

“Foi uma palavra de incentivo porque como eu estava bem e acreditávamos que ela também ficaria bem. Ela estava calma, tranquila, com muita fé em Deus e não se abalou em nenhum momento”, acrescentou o pastor.

Embora estejam enlutados, ele e os filhos devem se dedicar a encontrar forças na fé para superar o momento. “Eu estou confiando. Na verdade a gente vê a morte, a partida, como um ato soberano de Deus, então eu não tenho a frustração. A gente aceita porque confia em Deus. O luto é doloroso, mas é um ato de Deus e ele vai nos dar força para vencer”, disse.

ANÚNCIO

“Ela viveu intensamente. O que temos de fazer é aproveitar o momento para fazer o melhor e ela aproveitou cada momento, focada em ajudar as pessoas, levar alegria, sempre com uma palavra de fé. Eu entendo que ela cumpriu a missão dela”, reiterou Nascimento.

Para o viúvo, a imagem que fica é de uma pessoa que se dedicou a viver o que acreditava: “Fabiana era conhecida como uma mulher de muita fé, apaixonada por Deus e que vivia uma espiritualidade muito intensa. Ela cantava desde os quatro anos de idade e também palestrava com muita alegria. Eu a defino como uma pessoa muito alegre e extraordinária. Onde chegava, ela contagiava. É por isso que houve toda essa manifestação de carinho e apoio. Ela era acessível e gostava de pessoas. Era apaixonada por Deus e por pessoas. Era muito talentosa, organizava eventos, liderava corais e musicais. E tudo isso com dinamismo e graça”, concluiu.

Fonte: Tiago CHAGAS


Comente esta notícia:

Comente esta notícia:

Nome:      E-mail: 

Comentário:





Últimas noticias