As Claras 

Administração da Fercal recolhe 260 toneladas de inservíveis





12/2/2020

A Administração Regional da Fercal está empenhada no combate ao mosquito transmissor da dengue. Em parceria com o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e com a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), estão sendo recolhidos materiais inservíveis – móveis, aparelhos eletrodomésticos e outros itens que costumam ficar jogados em vias públicas ou terrenos abandonados. Nesta quarta-feira (12) foi a vez dos moradores da Fercal 1 e 2. Já foram recolhidos cerca de 260 toneladas de lixo.

Neolider Marciano, 62 anos, tem uma borracharia na região há 20 anos. Geralmente, os pneus que não eram mais usados ficavam em frente ao comércio, o que poderia ser um possível foco do Aedes Aegypti. “Acho essa iniciativa muito importante para evitar a dengue. Têm dias com muitos pneus e não sabemos onde deixar”, comenta.

A líder comunitária Vanderli Alarcão, 64 anos, também aprova a ação. “Por enquanto, ainda não temos a coleta seletiva, então é uma forma de conscientizar a população do descarte correto do lixo. Além de preservar o meio ambiente, previne contra a dengue”, disse a aposentada.

O recolhimento começou nessa segunda-feira pelos bairros Engenho Velho e Bananal. Na terça, os habitantes do Alto da Bela Vista, da Expansão e da Rua do Mato tiveram seus inservíveis recolhidos. A ação continua nesta quinta e sexta, no Queima Lençol e Lobeiral e Boa vista e Catingueiro, respectivamente. A previsão é que na próxima semana o serviço chegue às áreas rurais.

O administrador da Fercal, Fernando Gustavo Lima, explica que para a iniciativa sair do papel, ele gravou um vídeo e divulgou uma programação para que a população ficasse atenta ao recolhimento. “A conscientização é um dos principais pontos para combater a dengue, pois o governo não consegue combater o mosquito sozinho. Muitos deles estão dentro das casas dos moradores”, alerta.

A ideia é que a ação continue e para que a população se informe sobre quando e onde o serviço vai passar, basta ligar para o Disque Entulho da administração: 3483-2612.

Veja abaixo algumas medidas do GDF para combater a dengue

Sala de hidratação oral do Hospital da Região Leste

Reaberta há 17 dias, a sala de hidratação oral do Hospital da Região Leste (HRL, antigo Hospital do Paranoá) atendeu 91 pacientes com suspeita de dengue nesse período. O serviço tem como objetivo reforçar o combate ao Aedes aegypti e melhorar o atendimento da população, providenciando água e exames preliminares às pessoas que aguardam no pronto-socorro da unidade.

Apoio de líderes religiosos

Em mais uma ação integrada de governo, a Unidade de Assuntos Religiosos e a Secretaria de Saúde (SES) lançaram uma campanha de combate ao mosquito, em parceria com lideranças religiosas e entidades assistenciais. A ideia é fazer um Dia D de combate à dengue nos templos religiosos.

Vistoria com drones

As operações contra o mosquito ocorrem por terra e pelos ares. No DF, a ajuda de drones para vistoriar imóveis fechados tem colaborado no mutirão contra a dengue. A SES e o Corpo de Bombeiros Militar utilizaram drones para vasculhar imóveis fechados no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). Durante a ação, eles encontraram 150 espaços com possíveis criadouros para o mosquito.

Reforço do DER/DF

O combate ao mosquito tem reunido cada vez mais braços das secretarias e empresas públicas do DF. Quem chega para reforçar o time é o Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER/DF), que terá 20 servidores capacitados com aulas teóricas e em campo para eliminar criadouros da dengue nas áreas em que atuam. Esses 20 profissionais vão atuar como multiplicadores para realizar as atividades durante o trabalho.

Alerta da Defesa Civil

A Subsecretaria do Sistema de Defesa Civil passou a enviar notificações, via SMS, sobre locais com focos de dengue nas regiões administrativas. Para um resultado satisfatório, é necessário que o maior número de moradores possível faça o cadastro. É simples: basta enviar o CEP do local de interesse para o número 40199.

O aviso servirá para que os moradores que receberem o alerta redobrem os cuidados com a propagação dos focos do mosquito transmissor das arboviroses, que incluem o vírus da dengue, zika, febre chikungunya e febre amarela.

Contratação de pessoal

O GDF autorizou, no fim de janeiro, a contratação temporária de 600 profissionais: 300 para o cargo de agente de Vigilância Ambiental e outros 300 para agente comunitário de Saúde. Eles vão visitar residências, identificar focos, esclarecer a população sobre os locais de risco e eliminar os focos do inseto com a administração de produtos biológicos. A SES vai distribuir os trabalhos dos novos agentes com base nos dados epidemiológicos de todas as cidades.

GDF Presente

O programa de governo que atua diretamente nos reparos e serviços das cidades vem colaborando na luta contra a dengue. Diariamente, máquinas e profissionais têm feito a remoção de entulho e lixo em diferentes regiões administrativas. Um exemplo positivo foi a cidade de Planaltina, que teve 1.440 toneladas de resíduos retirada das ruas na segunda quinzena de janeiro.

Situação de emergência

Em 24 de janeiro, foi decretada situação de emergência na saúde pública, por tempo determinado, em razão do risco de epidemia por doenças transmitidas pelo mosquito. A situação de emergência compreende o período de 180 dias, contados a partir da publicação do decreto, em 24 de janeiro. A medida serve para que processos referentes e assuntos vinculados ao tema tenham prioridade em todos os órgãos e entidades da administração pública do DF.

Programa Dengue Zero 2020

No ano passado, o GDF lançou o Programa Dengue Zero 2020. A ação engloba o trabalho de agentes de Vigilância Ambiental, veículos e soldados do Corpo de Bombeiros Militar do DF (CBMDF). O número de veículos para aplicação do fumacê passou de 40 para 80.

Parceria com o Ministério da Saúde

O GDF e o Ministério da Saúde assinaram Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para a alocação de 120 servidores cedidos pelo ministério à secretaria e a capacitação de soldados do Corpo de Bombeiros.

Sala permanente de combate ao Aedes

Uma vez por semana, representantes de todo o GDF se reunirão com um objetivo específico: o combate ao Aedes aegypti. Uma sala permanente de monitoramento e gestão foi criada como mais uma estratégia para enfrentar a evolução das doenças na capital. Os encontros serão no Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob), na sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP). Serão coordenados pela Subsecretaria de Políticas Públicas da Secretaria de Governo e terão caráter permanente.

Dicas para combater a proliferação do Aedes aegypti:

Tampe os tonéis e caixas d’água

Mantenha calhas sempre limpas

Deixe garrafas sempre viradas com o gargalo para baixo

Deixe ralos limpos e com aplicação de tela

Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia

Retire a água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa



Fonte: AGÊNCIA BRASÍLIA *


Comente esta notícia:

Comente esta notícia:

Nome:      E-mail: 

Comentário:





Últimas noticias