As Claras 

Os nossos soberanos não podem ser enquadrados no quesito de justiça e equidade





16/5/2019

Foto: EBC

Meus caros leitores, com os tsunamis ainda rondando por aqui, o Presidente Jair Bolsonaro regressou ao Brasil depois de uma viagem a Dallas nos Estados Unidos para receber o título de Personalidade do Ano concedido pela Câmara de Comércio Brasil/Estados Unidos. Em terras tupiniquins, as coisas exóticas continuam acontecendo.

Aproveitando a interinidade na Presidência da República, em razão da ausência de Bolsonaro e a viagem à China do Vice, general Hamilton Mourão, o Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, sancionou o Projeto de Lei que anistia os partidos políticos de uma multa de cerca de 70 milhões de reais. Isto mesmo, perdão de multa a partidos políticos. Experimente você ficar devendo para o governo ou ao fisco para ver o que lhe acontece.

Os nossos soberanos não podem ser enquadrados no quesito de justiça e equidade. Aos políticos, seus pares e aos partidos, perdão de dívida. Ao cidadão, a chibata da lei. Nome sujo na praça e os cambaus. Finalmente o capo de Lula, o ex-ministro José Dirceu volta para a cadeia. Foi o que determinou o TRF da Quarta Região ao derrubar o último recurso que permitia a prisão domiciliar de José Dirceu no âmbito do processo em que foi condenado a 8 anos e 10 meses de prisão.

É bom lembrar que em primeira instância Dirceu já está condenado a mais de 30 anos de prisão. Agora ele volta para trás das grades. Não se sabe até quando. Como é um sujeito disciplinado, deve se apresentar para evitar ser recolhido em casa sem nenhum glamour como gostam os integrantes do Exército Islâmico Tupiniquim que o chamam de “herói do povo brasileiro”.

Cada um tem o herói que merece. Num país em que a educação deve ser prioridade, ontem foi demitido mais um Diretor do INEP, Instituto de Pesquisas e Estudos Educacionais. Mais um que vai por desacerto interno. Ele estava no cargo desde 29 de abril. O INEP é responsável, dentre outras coisas, pelo Enem.

Não bastasse isso, não há uma palavra sobre o Fundeb, que é quem financia o ensino básico no país e cujo prazo de existência está acabando. A se contrapor a tudo isso o Presidente da Câmara, Rodrigo Maia e o do Senado, Davi Alcolumbre se comprometem com o Ministro Paulo Guedes a aprovar a Reforma da Previdência em 60 dias.

Os dois dão mais um recado para mostrar quem realmente manda e decide. Para o governo, mesmo assim, será um alívio. Resta saber quantos vão sobrar da autofagia palaciana para comemorar o feito.


Direto de Brasília,


Fonte: José Woitechumas


Comente esta notícia:

Comente esta notícia:

Nome:      E-mail: 

Comentário:





Últimas noticias