As Claras 

Lula promoveu um contingenciamento de 10 milhões das verbas da educação.





15/5/2019

Foto: EBC

Meus caros leitores, esta foi uma quarta-feira cinza, de chumbo trocado e gente com galões de gasolina e fósforo na mão. O Brasil não precisa de mais incendiários. Já temos o suficiente. Os estudantes, professores e funcionários públicos das escolas e universidades públicas foram às ruas. Um movimento significativo mas emblemático.

O ensino brasileiro, avaliado por entidades e critérios internacionais é um vexame. Alunos no segundo grau que não sabem as 4 operações. E o nosso ensino superior, convenhamos, com raras exceções, é vexaminoso. Universidades que não realizam nenhuma pesquisa faz muito tempo. E os selecionados para bolsas no exterior muitas vezes, sequer retornam, quanto mais darem contribuição ao que a instituição, mantida com dinheiro público, investiu neles.

O Presidente Lula promoveu um contingenciamento de 10 milhões das verbas da educação. E como comentei anteriormente, as entidades estudantis, a UNE principalmente, fez de conta que não viu. Parece que gostaram de como estava. E aí qualquer mudança é suficiente para manifestações, paralisações, gazeteamento de aulas. De diretores a alunos, passando por professores e funcionários, principalmente das escolas públicas, gostaram de voltar às ruas pois é o que sabem fazer de melhor, protestar.

É claro que a intenção de rever muito do que está aí e não só na educação, é necessário e desejável. O método, a forma e os segmentos a serem atingidos pela mudança poderiam ser melhor definidos. Cortar aleatoriamente é sempre um risco. Cabeças inocentes podem estar no meio.

O governo erra neste quesito e arrasta para as ruas aqueles que não se conformaram com o resultado das urnas. As intenções dos adversários são fáceis de identificar. Verdadeiros inimigos da nova gestão.

Agora, com tudo o que estamos assistindo dentro do próprio governo, podemos avaliar que o tsunami começa por ali. E não se sabe quanto de estrago vai promover. Carlos Bolsonaro é mais dramático e faz um verdadeiro alerta: “o que vem por aí pode derrubar o capitão”. É possível. Alertamos aqui, colocamos números e encaminhamos documentos para importantes autoridades do governo.

A falha na Comunicação oficial sempre pautou nossas preocupações. Por arrogância ou desdém dos responsáveis, os alertas foram desconhecidos, ignorados. Somos pequenos demais para o tamanho da soberba. Que agora paga seu preço. E mais recentemente, alertamos que o governo deveria se concentrar no deputado do MDB, Hiram Rocha, sentado encima da Medida Provisória da Reforma Administrativa.

Pois ela impede que o governo tenha recursos para pagar, dentre outras coisas, O BPC, o Proagro e o Bolsa Família. Se isso não acontecer, só as pedaladas. E estas já derrubaram a ex-presidente Dilma.

O Ministro Guedes foi a Comissão de Orçamento e fez o apelo digno mas desesperador. Ou o Congresso ajuda ou o país vai para o buraco. Parece que o Centrão, o MDB, falsos aliados e até gente de dentro do governo, não percebem isso. O Capitão também poderia ajudar mais. Então, preparem-se, a queda será a prova final de que o brejo chegou antes que a vaca fosse até ele.

Infelizmente.


Direto de Brasília,


Fonte: José Woitechumas


Comente esta notícia:

Comente esta notícia:

Nome:      E-mail: 

Comentário:





Últimas noticias