As Claras 

Mais de 3,3 mil candidatos disputam vaga na Escola Técnica de Brasília

Unidade oferece cursos presenciais de eletrotécnica, eletrônica, informática e telecomunicações. Inscritos farão a prova na tarde de domingo (25)






22/6/2017

Matheus Pereira, de 18 anos, é aluno do primeiro semestre de telecomunicações na Escola Técnica de Brasília. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

Em busca de uma das 980 vagas ofertadas pela Escola Técnica de Brasília para o próximo semestre, 3.303 candidatos se inscreveram no processo seletivo da instituição. Eles farão prova no domingo (25), às 14 horas, em cinco escolas públicas de Taguatinga. Os cursos ofertados são de eletrotécnica, eletrônica, informática e telecomunicações.

O mais concorrido nesta seleção — com 1.174 concorrentes para 245 vagas — é o de eletrotécnica. O diretor da unidade, Jackes Ridan Guedes, explica que os alunos desse curso recebem aulas desde instalação básica de tomadas até conhecimento de rede de energia de alta tensão.

Inscritos são orientados sobre características de cada curso
“Fazemos questão de que as inscrições sejam presenciais, para que possamos explicar pessoalmente como é o curso, e cada um possa escolher melhor”, conta. Além disso, ele diz que a estratégia evita evasão.

Entre as principais dúvidas de candidatos, Guedes aponta confusões sobre o curso de telecomunicações. “Alguns pensam que é algo como telemarketing, e precisamos esclarecer. ”

Cursando o primeiro semestre de telecomunicações, Matheus Pereira, de 18 anos, já vislumbra o mercado de trabalho. “Meu padrinho, que há muitos anos fez um curso técnico aqui, me incentivou a fazer a prova [de seleção]. Topei porque quero trabalhar na área de instalação de sinal de TV e tem muita concorrência”, avalia.

2.654
Número atual de alunos da Escola Técnica de Brasília nos três turnos
Em outra etapa da vida, Davi Gomes, de 61 anos, finaliza o estágio para se formar no mesmo curso. “Já trabalhei em muitas empresas da área, mas comecei na época do analógico, estou me atualizando”, resume o aposentado. Para aumentar a renda, ele quer — com os novos conhecimentos e a experiência adquirida — montar um negócio próprio.

Eletrônica foca na manutenção e no reparo de equipamentos
Formado em física e professor na área de eletrônica, Ronaldo César de Oliveira destaca que o diferencial do curso é aliar teoria e prática: “Quem passar na seleção encontrará algo voltado para o mercado de trabalho, que atende às demandas [do setor produtivo]”. O curso tem foco na manutenção e no reparo de equipamentos.

Segundo mais concorrido, o de informática – com 1.225 inscritos para 315 vagas nos três turnos — prepara o estudante para desenvolver sistemas para web, além de tratar da área de suporte e manutenção.

Estrutura da Escola Técnica de Brasília
Entre laboratórios e salas de aula, a escola tem 50 recintos. Além dos equipamentos específicos de cada curso, os estudantes contam com 750 computadores. Na biblioteca, há 15 deles, munidos dos programas necessários para atender às necessidades dos quatro cursos.

Após quatro semestres de aulas, os estudantes precisam fazer um estágio obrigatório
Toda a manutenção da escola que envolve as áreas de conhecimento ministradas é feita pelos próprios alunos, segundo o diretor. Isso inclui atividades desde a troca de uma lâmpada ao cabeamento do sistema de câmeras.

Atualmente, a escola atende 763 estudantes no período matutino, 711 à tarde e 1.180 no noturno. Em 2016, 536 alunos concluíram cursos e receberam a certificação pela Escola Técnica de Brasília.

Após os quatro semestres de aulas teóricas e prática, os estudantes precisam fazer um estágio obrigatório para conseguir o certificado. Neste ano, 284 já o fizeram. Outros 290 estão na fase de estágio.

EDIÇÃO: MARINA MERCANTE

Fonte: AMANDA MARTIMON, DA AGÊNCIA BRASÍLIA


Comente esta notícia:

Comente esta notícia:

Nome:      E-mail: 

Comentário:





Últimas noticias