As Claras 

LISTA DE FACHIN ABRE A TAMPA DO BUEIRO.





11/4/2017

Foto: EBC

Meus caros leitores, “cada dia com sua agonia”, é como posso começar este comentários após a verdadeira retirada da tampa do bueiro feita pelo Ministro Luiz Edson Fachin, do STF.

O relator da Operação Lava Jato no STF , abriu a Caixa de Pandora e determinou a abertura de 83 inquéritos envolvendo nove ministros do governo Temer, 29 senadores e 42 deputados federais, entre eles os presidentes da Câmara e do Senado. Todos serão investigados na Lava Jato a partir das delações da Odebrecht na maior ofensiva contra políticos com foro privilegiado.

O grupo faz parte do total de 108 alvos dos 83 inquéritos que a PGR encaminhou ao STF com base nas delações dos 78 executivos e ex-executivos do Grupo Odebrecht, todos com foro privilegiado no STF. Os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff não aparecem nesse conjunto porque não possuem mais foro especial. Vão direto para a primeira instância. Por isso a “paura” que os envolve. Desculpem-me pelo linguajar, mas vou citar alguns dos “detritos” deste verdadeiro lixo destapado por Fachin.

Os governadores do Acre, Tião Vianna, o Renanzinho, de Alagoas e Robinson Farias, do Rio Grande do Norte. Eduardo Paes, ex-prefeito do Rio de Janeiro levou 15 milhões em propina nas maracutaias que envolveram as Olimpíadas realizadas naquela cidade, dinheiro depositado em contas no exterior.

A Odebrecht pagou R$ 350 mil em espécie para o “guerrilheiro” da sua Lista, José Dirceu, também conhecido por seus fanáticos seguidores como “o herói do povo brasileiro”. O filho do ‘guerrilheiro’, deputado Zeca Dirceu, também foi beneficiado. Um Ministro do Tribunal de Contas, Vital do Rêgo, também está na lista.

24 outros políticos e autoridades que, apesar de não terem foro no tribunal, estão relacionadas pelos colaboradores. Os senadores Aécio Neves, presidente do PSDB, e Romero Jucá, presidente do PMDB, são os políticos com o maior número de inquéritos a serem abertos: 5, cada. O senador Renan Calheiros, ex-presidente do Senado, vem em seguida, com 4. O próprio Presidente Temer só não está na lista porque possui “imunidade temporária” em razão do cargo que ocupa.

As investigações que tramitarão especificamente no Supremo com a autorização do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato na Corte, foram baseadas nos depoimentos de apenas 40 dos 78 delatores. Os relatos de Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo, são utilizados em 7 inquéritos no Supremo. Os crimes mais freqüentes descritos pelos delatores são de corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, e há também descrições a formação de cartel e fraude a licitações. O PMDB tem mais senadores na lista enquanto o PT é o campeão em número de deputados envolvidos.

O empresário Eike Batista já está vazando o que disse à Justiça: entregou dois milhões e meio nas mãos de Lula. Com a confirmação de Marcelo Odebrecht de que o “amigo” da sua Lista é Lula, só falta a delação do “italiano” Palloci para fechar a tampa do caixão”.


Direto de Brasília,

Comentário político de José Woitechumas direto de Brasília. Quarta-feira 12-04-2017

Fonte: José Woitechumas


Comente esta notícia:

Comente esta notícia:

Nome:      E-mail: 

Comentário:





Últimas noticias