As Claras 

OS PRESOS MORTOS NA CHACINA DE MANAUS, VIRARAM VÍTIMAS E SUAS FAMÍLIAS SERÃO INDENIZADAS. E AS FAMÍLIAS DE SUAS VÍTIMAS, PORQUE NÃO FORAM?





10/1/2017

Foto: EBC

Meus caros leitores, tenho usado sistematicamente aqui neste espaço, o massacre ou chacina de Manaus e agora também de Roraima e de outros estados, para continuar debatendo a questão dos direitos humanos. E tenho recebido preciosas colaborações. Quero reforçar aqui: não quero tirar o direito das famílias das vítimas, ou seja, os familiares dos presos mortos, merecerem e devem ser indenizados, afinal, lá eles estavam sob a custódio do Estado, da Justiça. Portanto, são seres humanos e como tais devem ser tratados.

Porém, o que quero acender é o debate sobre as vítimas. Estas sim, em todo o país e em todos os tempos, têm sido relegadas ao plano até do desconhecimento. Principalmente daqueles que se preocupam com os menores infratores, muitos assassinos, e dos bandidos e bandidões que estão presos em condições inadequadas. A lembrança de um colaborador, ouvinte e leitor, é preciosa e oportuna: a família de Rafael Moreira, morto na chacina, será indenizada pelo Estado do Amazonas. A família do senhor que ele matou quando este voltava da Igreja, não foi. Nem será. A família de Francisco Pessoa, será indenizada. A família da menina de 14 anos que ele estuprou e matou com 15 facadas, não foi. A família de Artur Gomes, será indenizada pelo Estado do Amazonas. As famílias das 15 vítimas a quem ele estuprou e contaminou com HIV, não foi. Nem será. A família de Raijean Medeiros será indenizada. As famílias dos menores que ele aliciou e das mulheres que estuprou, não foram, nem serão.

E assim poderíamos continuar mostrando as contradições sobre o tratamento que o pessoal dos direitos humanos e até das autoridades, zelosos agora em reparar o desastre, de todos os 60 presos, lembrados diária e exaustivamente pelos veículos de comunicação e pelos que se aproveitam para transformar estas falhas todas, omissões e incompetência, inclusive, como de responsabilidade das autoridades atuais.

No caso do governo do Amazonas, nem tão atual, estão lá há muito tempo, coniventes alguns, com o fornecimento da pólvora, do estopim e da chama que incendiou a imagem do Estado. Gostaria então de expor alguns argumentos para debate de senadores, deputados e autoridades dos governos federal, estaduais e municipais. Se os presos custam no mínimo 2 mil por mês aos cofres públicos(quase 5 mil no Amazonas), não deveriam suas vítimas também receber tais valores?
E as famílias das vítimas fatais, que são também de responsabilidade do Estado segundo a Constituição, pois tem direito à Segurança, não deveriam receber os mesmos valores indenizatórios, pagos aos seus algozes hoje também transformados em vítimas? A Constituição diz que “todos são iguais perante a Lei”, porque então o tratamento diferenciado? Ou será que nós, cidadãos contribuintes, não devamos estar sob a proteção das autoridades (juízes, policia e etc) e não sermos vítimas barbarizadas, sodomizadas e eliminadas por bandidos, presos, julgados e condenados pelos crimes que comprovadamente praticaram? É preciso prova mais evidente do que isso, julgamentos pela Justiça, para que as famílias sejam indenizadas? Pensem nisso. Não dói.


Direto de Brasília,

Comentário político de José Woitechumas direto de Brasília. Quarta-feira 11-01-2017


Fonte: José Woitechumas


Comente esta notícia:

Comente esta notícia:

Nome:      E-mail: 

Comentário:





Últimas noticias