As Claras 

Sinfônica do Teatro Nacional toca clássicos

Programação do mês terá mais seis apresentações e rotina cheia de ensaios para os 75 músicos que compõem a orquestra






2/6/2015

Sucesso de público desde março, o programa Clássicos do Cinema, por meio do qual a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro executa trilhas sonoras de filmes, será retomado em junho. Desta vez, estão agendadas três apresentações, duas delas no dia 9. A primeira, às 10 horas, no Auditório Planalto do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, vai ser exclusiva para 550 alunos de duas escolas do DF, uma pública e outra particular.

A ação, denominada Concerto Didático, será inédita e pontual — ainda não há data para novas exibições dedicadas aos estudantes. "É uma iniciativa de grande impacto na formação cultural dos jovens", pontua o maestro titular, Claudio Cohen. Segundo ele, a ideia é implementar o projeto de forma regular tão logo o governo recupere o orçamento destinado a atividades educativas.

Também no dia 9 e no Centro de Convenções, a partir das 20 horas, a orquestra executa o programa em apresentação aberta ao público. Sob regência do maestro titular, os artistas iniciam a série com Salute to the Cinema, do compositor norte-americano Carl Strommen. A obra seguinte é Now We Are Free, de Hans Zimmer e Lisa Gerrard, tema do filme Gladiador (2000), de Ridley Scott. Na sequência, virá Gabriel's Oboe, escrita pelo italiano Ennio Morricone e presente em A Missão (1986), do cineasta Roland Joffé.

A trilogia O Senhor dos Anéis, do diretor Peter Jackson, terá músicas tocadas pela sinfônica. Os instrumentistas executam também o tango Oblivion — tema de filme homônimo —, do italiano Astor Piazolla, e a trilha de Batman (1989), de Tim Burton, composta pelo estadunidense Danny Elfman e adaptada pelo brasileiro Alexandre Brasolim. O repertório inclui ainda duas composições de John Williams: Star Wars Suite, interpretada pela Orquestra Sinfônica de Londres para a trilha sonora do filme de George Lucas, e o tema deSuperman (1978), de Richard Donner.

Outra atração da noite é Aquarela do Brasil, escrita por Ary Barroso. A canção foi tema do curta-metragem de animação Saludos Amigos (1942), protagonizado pelo papagaio Zé Carioca. A programação traz ainda Meet The Flintstones, interpretado pela banda norte-americana The B-52's, do filme Os Flinstones (1994), dirigido por Brian Levant, e o tema de Missão Impossível (1996), de Brian de Palma, composto por Danny Elfman.

Completa o programa um medley (sequência de trechos de músicas) de filmes que têm como protagonista o agente do serviço secreto britânico James Bond 007. "Além de serem obras de grandes compositores, elas têm muito impacto quando executadas por uma orquestra sinfônica ao vivo", ressalta Claudio Cohen. O projeto de tocar trilhas de cinema surgiu pela primeira vez em 2003, mas só foi retomado em 2014.

A terceira sessão do Clássicos do Cinema ocorrerá em 13 de junho no Iate Clube de Brasília, onde, além das trilhas cinematográficas, serão executadas a Sinfonia nº 5, de Beethoven, e a Valsa das Flores, de Tchaikovsky. A entrada é mediante doação de um quilo de alimento não perecível (exceto sal) por pessoa. Até 12 de junho, os ingressos para sócios podem ser retirados na superintendência do clube e os para não sócios, na secretaria.

Outros espetáculos
As performances de junho começam nesta terça-feira (2), com o programa Sibelius 150 Anos, em homenagem ao finlandês Jean Sibelius. A série inclui o Concerto para Violoncelo e Orquestra nº 2 em Ré Maior, do austríaco Joseph Haydn, e a Sinfonia nº 2 em Ré Maior Opus 43, de Sibelius. O solista da noite será Rodolpho Borges.

Nas outras semanas do mês, os músicos mantêm o projeto Concertos de Dom Bosco, ciclo de apresentações em homenagem ao bicentenário do santo padroeiro de Brasília, o sacerdote italiano Dom Bosco (1815-1888). Também haverá o Concerto Turco-Brasileiro, com os artistas turcos Cihat Asking e Zeynep Ucbasaran e shows clássicos com repertório de Mozart, Beethoven e Villa-Lobos, sob regência dos convidados Marcio Steuernagel e Laercio Diniz.

Ensaios
Para manter o ritmo de espetáculos, os instrumentistas ensaiam quatro dias por semana: nas segundas-feiras, de manhã e à tarde; e nas terças, quintas e sextas-feiras de manhã. Terça-feira é o dia fixo dos concertos, sempre às 20 horas, no Auditório Planalto do Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

O quadro de músicos é de 120 profissionais, mas atualmente há 75 efetivos, e 20 aprovados no concurso público de 2014 aguardam nomeação. Quanto aos instrumentos, a orquestra é formada por 20 violinos, dez violas, dez violoncelos, cinco contrabaixos, três flautas, três oboés, quatro fagotes, quatro clarinetas, quatro trompas, três trombones, quatro trompetes, cinco percussões e uma harpa.


Fonte:  Gabriela Moll, da Agência Brasília


Comente esta notícia:

Comente esta notícia:

Nome:      E-mail: 

Comentário: